A poluição do ar e seu impacto na saúde
Aquecimento global na Floresta Amazônica
Meio Ambiente
Energia eólica

Planeta Unimed As consequências do aquecimento global na Floresta Amazônica

As consequências do aquecimento global na Floresta Amazônica

Entenda como o aquecimento global tem prejudicado o desenvolvimento de árvores na Amazônia

As consequências do aquecimento global na Floresta Amazônica abrangem diversas áreas, mas hoje falaremos um pouco sobre o impacto causado sobre as espécies de árvores existentes.

Estudos de uma equipe liderada pela Universidade de Leeds revelam que desde a década de 1980 as sequelas das mudanças ambientais globais, como: o aumento da temperatura, secas mais fortes e níveis mais altos de dióxido de carbono na atmosfera, implicaram no crescimento e na mortalidade de espécies específicas.

O estudo também ressalta a mortalidade de árvores que necessitam de climas úmidos, espécies que não foram substituídas por árvores de clima mais seco.

Adriane Esquivel Muelbert, da escola de geografia de Leeds, comenta: “A resposta do ecossistema está atrasada em relação à taxa de mudança climática. Os dados nos mostraram que as secas que atingiram a bacia amazônica nas últimas décadas tiveram sérias consequências à composição da floresta, com maior mortalidade em espécies arbóreas mais vulneráveis a secas e crescimento compensatório insuficiente em espécies maia adequadas para sobreviver em condições mais secas”.

Outro dado descoberto pela equipe foi relacionado às espécies de árvores maiores e sua competição com plantas menores. A confirmação dos estudos é que estas árvores sairiam com vantagens em consequência dos benefícios proporcionados pelo aumento do dióxido de carbono, que permite que elas cresçam de forma acelerada.

As árvores pioneiras, espécies que nascem rapidamente e crescem em clareiras deixadas para trás quando árvores morrem, estão se aproveitando da aceleração dinâmica da floresta.

Oliver Philips, professor de Ecologia Tropical em Leeds e fundador da rede RAINFOR, revela: “O aumento em algumas árvores pioneiras, como a cecropia de crescimento extremamente rápido, é consistente com as mudanças observadas na dinâmica da floresta, que também pode, em última análise, ser impulsionado pelo aumento dos níveis de dióxido de carbono”.

Diante destas informações, é necessário que a conscientização geral seja despertada com hábitos que auxiliem a desacelerar o aquecimento global, como: evitar a emissão de gases poluentes, combater o desmatamento e demais ações.

O Planeta Unimed apoia atitudes ecologicamente corretas, como o plantio de árvores e o uso de transportes não poluentes, com a finalidade de preservar e recuperar a fauna e a flora da Amazônia e das demais florestas do nosso planeta.